Queremos com este trabalho dar a conhecer as nossas actividades e aventuras.

Será um espaço de partilha com os pais, os colegas e toda a comunidade educativa.

Este será o nosso portefólio digital.

Ficamos à espera da vossa visita.



sexta-feira, 30 de abril de 2010

Para as nossas MÃES.


Para as nossas mães fizemos umas bolsinhas, com carimbagem de corações.
Mas o melhor presente para qualquer mãe é sempre o amor que lhe podemos dar.
Para as mães todos os dias são o seu dia, pois ser mãe é uma tarefa para o resto da vida. Isto só entende quem o é.
Por muito que os livros expliquem esta ligação, só depois de sermos mães podemos sentir o seu significado.
Por isso para todas as mães e para a minha também ficam os votos de um dia Muito Feliz.



Não podíamos deixar de fazer um postal, este desdobra-se em três partes (uma ideia da revista dos Educadores adaptada por mim).
Com uma cápsula de Nespresso achatada recortei corações.




Foi muito divertido pintar os lábios para carimbarmos na árvore os beijos. Aproveitámos e fizemos o retrato das nossas mães e nas bochechas demos mais beijinhos.

Esperamos que elas gostem tanto das prendas como nós gostámos de as fazer.

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Para que será?

Deixamos aqui o cartãozinho que vai acompanhar a prenda para a mãe... mas o resto é surpresa!



Partilhas do Educ@naweb

Agradeço as partilhas que os colegas vão fazendo no Educ@anaweb, e agradeço também à colega Albertina que nos proporciona tudo isto.

Estes pictogramas estão muito bem elaborados e são uma mais valia para enriquecer os portefólios que construímos, para trabalhar com as crianças as diferentes temáticas.

.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Poemas para as mães

A poesia é para mim como as flores, dá cheiro e cor às palavras e por isso torna-as mais bonitas.
Deixo aqui alguns poemas que trabalhei com os Perlimpimpim, alguns deles não sei quem foi o autor.

"A estrela brilhou
E ficou a cintilar
Ficou anunciar
Que Virgem Maria
Em breve ia ser MÃE
Assim como tu és também!
Tu és Mãe, tão linda
És uma flor
No teu olhar meigo
Há doçura e calor.
Para ti querida mãe
Que me estás a escutar
Eu quero beijinhos mandar."
------
"No Jardim a Paula falou-me
que hoje era o teu dia Mãe!
Corri para casa
Fui ao mealheiro,
Não tinha dinheiro
e lembrei-me do jardim!
Corri e fui às flores
que são os meus amores
criados por ti!
Colhi uma
dei-lhe um beijinho
e logo à noitinha
quando chegares,
tens a prenda
tens-me a mim e tens o AMOR
que é a flor
do nosso jardim."
------
" Eu queria uns sapatos
Com asas nos saltos.
Batia com eles no chão
Trás, trás...
Eu subia ao céu
Por cima das nuvens
Por cima das serras
Por cima do mar...
Não para lá ficar
Mas para pedir ao céu,
Que tem tantas,
A estrela mais linda
Para dar à minha mãe!"
(Campos Oliveira)

terça-feira, 27 de abril de 2010

Coração de Mãe

Esta dedico à minha querida mãe.


A minha MÃE

A Primavera chegou cheia de cor!!

- A Primavera chegou .
- Eu sei que ela chegou!
- Quem foi que isso te contou?
- As flores, foram elas que me contaram!


Na nossa porta temos sempre um trabalho sobre a época a trabalhar.


Fizemos umas flores para enfeitar a sala.


No nosso jardim as flores e o chilrear dos passarinhos dizem-nos que a Primavera vai chegando de mansinho.
Fizemos esta reportagem fotográfica para ficarem a conhecer as cores da nossa Primavera.



domingo, 25 de abril de 2010

O Dia da Liberdade


Não é muito fácil explicar por palavras, a quem sempre foi livre, o que acontecia no nosso país antes do 25 de Abril. Mas é muito importante que nó educadores e pais não deixemos passar esta data sem falar no seu significado.
Para que as crianças pudessem perceber, contei esta história que retirei do blogue PréHistórias (da colega Juca que partilha connosco tantas coisas bonitas).


Depois falámos sobre tudo o que podemos fazer hoje e não podíamos fazer antes desta data. Tudo com exemplos à sua medida para poderem compreender e reflectir.
Por fim contei o poema de outra colega que além de Educadora é também Poetisa, a Rosarinho do seu blogue continuobuscando.blogspot.com, com a sua autorização vou colocá-lo aqui.

Só hoje falámos deste tema, vem atrasado eu sei, mas gosto de fazer as coisas com calma e sentido e o desfile ocupou-nos algum tempo.
Como descobriram os Perlimpimpim a flor da Liberdade foi o cravo, então o Baú das Surpresas trouxe o material para construirmos um, depois cada um representou o seu através do desenho.

A Liberdade em todos os seus aspectos é fundamental, mas temos que demonstrar às nossas crianças que a nossa liberdade depende da liberdade dos outros e devemos sempre ter isso em conta.

O desfile da Primavera em Abrantes


Como já tínhamos contado, estivemos muito ocupados com a preparação dos fatos para a participação no desfile da Primavera.
Foi cansativo, mas também foi divertido.
Partimos de camioneta com os amigos do 1ºCiclo e os coleguinhas de Casais de Revelhos. Desfilámos pelas ruas até ao Castelo, é que nós temos um Castelo muito bonito que também serviu de fortaleza, quando visitarem Abrantes vão ver.
Éramos muitas crianças, quase todas as que frequentam o pré-escolar e o 1ºCiclo do Concelho de Abrantes. Foi uma iniciativa da Câmara Municipal.
Quando chegámos ao Castelo tínhamos um lanche à nossa espera e uma surpresa... o palhaço Batatinha do Batatoon.
Na verdade com tanta gente não conseguimos ver tudo, mas dançámos e cantámos.
Vimos a exposição dos trabalhos sobre a biodiversidade, estavam todos lindos, parece-nos que a partir de agora esta geração vai ser muito mais amiga do PLANETA e ele vai continuar a ser azul.
Vejam como ficou bonito o trabalho dos nossos Jardins (Casa Branca, Alvega e Concavada).



Ficam aqui as fotos que tirámos.




video

A TERRA é a nossa casa


Depois de conversarmos sobre todos aqueles que habitam o planeta TERRA (nós, animais e plantas) e como devemos proteger a natureza se queremos um planeta azul, recriámos o desenho retirado do Educ@naweb, que ilustra o nosso poema.







sexta-feira, 23 de abril de 2010

Ao ANÓNIMO EDUCADO...

Ao ANÓNIMO (A) que me deixou este comentário :
"Amiga
Não é chaçola, mas sachola. É obrigatório ter um dicionário na biblioteca da sala. Ajuda os crescidos e os nossos pequeninos a sentir o gosto pela procura do significado das palavras nova e acima de tudo de fazeres esta figura de analfabeta.."
Quero agradecer a sugestão que me deixou, o erro ortográfico será rectificado. A palavra era nova para mim não para os meus meninos.
Queria-lhe dizer também que os erros ortográficos são simples de corrigir a idiotice nem por isso.
Fazia também um esclarecimento a quem ainda não percebeu que o meu blogue não é de leitura OBRIGATÓRIA, só o visita quem quer, por isso quem se sente tão insultado na sua inteligência pelo que aqui lê tem um bom remédio, não volta.
Na vida deparamo-nos com pessoas (onde me incluo) que têm um coração generoso e brilhante, que sabem que têm sempre coisas novas a aprender com os outros e que gostam de ver sempre algo positivo em todas as situações.
Deparamo-nos também com outras pessoas que têm uma vida tão pouco interessante e um espírito tão pouco colorido, que entendem que sabem tudo e sentem prazer quando apanham os outros em falta. Esquecem-se frequentemente, que criticar negativamente os outros é mais fácil do que fazer melhor que eles.
Eu peço desculpa a todos os outros amigos do blogue por este desabafo... mas há pessoas que me irritam...
Podia ter deixado passar, mas não me apeteceu, como não posso falar directamente com a pessoa que fez este comentário porque ao contrário de todas as outras não se identificou tive que fazer este post.
Agradeço a todos os comentários lindos que me têm deixado e o que convosco tenho aprendido.
Este comentário não me ofendeu, pelo contrário fez-me reflectir e mostra que a educação e o respeito pelos outros não se aprende nem nos livros,nem nos dicionários.
A quem se sente ofendido pelo meu analfabetismo, desejo uma vida feliz e não se macem a voltar.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Semear para Interiorizar.

No Jardim de Infância trabalham-se ideias, que têm que passar pela construção prática de saberes.
Nós educadores somos Semeadores de Interesses, que mais tarde noutros ciclos de ensino podem ser traduzidos em conhecimentos. Como diz Augusto Cury: "Educar é ser artesão da personalidade, um poeta da inteligência um semeador de ideias."
Todo o trabalho gira pelas conversas, pela troca de saberes, pela partilha e pelas experiências interpessoais.
Agindo sobre o mundo que as rodeia as crianças apreendem os conceitos pretendidos pelos educadores.
Este trabalho de conhecimento do nosso planeta e de tudo o que nos rodeia é feito transversalmente e diariámente em muitas das actividades que desenvolvemos.
A comemoração de certos dias, serve somente para não deixar esquecer aquilo que todos sabem mas nem sempre valorizam.
Neste dia a TERRA, como diz o nosso poema fomos semear girassoís.
Porquê? Porque tínhamos trabalhado a temática da amizade e um dos livros usados foi : "O Jardim da Amizade", que contava a história de um jardim de girassoís construído por vários amigos que concluíram que o trabalho conjunto é muito importante.



Foi uma manhã divertida.
Vamos continuar a tratar dos nossos girassoís e esperar que dêem flor.

quarta-feira, 21 de abril de 2010



Este dia é da Terra,

E também de todos nós.

Das plantas, dos animais

Dos europeus até aos esquimós.



Vamos todos plantar

No jardim lá da escola,

Flores bonitas de encantar

Cavando a terra com a sachola.



Escolhemos girassoís

Porque giram, giram sem parar.

Parecem muitos sóis

Que não param de girar.



E porque é tão importante

Do planeta cuidar?

Porque é nele que vivemos

E dele depende o nosso bem estar.



Neste ano da biodiversidade

Na natureza devemos pensar.

Deixar de poluir,

E tudo reciclar.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Parabéns amiguinhos!


Os nossos coleguinhas do 1ºCiclo, nossos vizinhos do lado estão de parabéns e a professora Lisete também.

Vejam só que lindo trabalho realizaram com garrafas de plástico para a exposição da Festa da Flor.

Gostámos muito, vamos fazer flores como as vossas para alindar a nossa sala.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Exposição da Festa da Primavera


Para a Festa da Primavera também nos foi pedido um trabalho plástico sob o tema: Biodiversidade.
Como somos três Jardins decidimos em Departamento fazer um trabalho que seria acrescentado aos outros formando as diferentes vertentes do planeta: mar/rio, terra e céu.
A nós calhou-nos o rio/mar, foi assim que o representámos.
Usámos cápsulas de nespresso achatadas com um martelo (foi uma festa), e fizemos um peixe grande em trabalho de grupo e cada menino fez o seu peixe em cartolina. Arranjámos pedrinhas e areia do jardim e a Paula trouxe umas conchas e uns búzios. E assim construimos este quadro.
Gostam?
Depois mostramos o conjunto, parece-nos que vai ficar fantástico!

quinta-feira, 15 de abril de 2010

D. Francisco de Almeida??????????

Sabem quem foi D. Francisco de Almeida?
Nós também não sabíamos. Mas como não dizemos que não a nenhum desafio fomos pesquisar na net.
Tenho que começar por explicar quem nos fez este desafio, foi a Câmara Municipal de Abrantes. Todos os anos a Câmara realiza a Festa da Primavera e convida as Escolas e Jardins de Infância a participar. Este ano foi-nos pedido que trabalhássemos o tema: a vida de D. Francisco de Almeida.
Das nossas pesquisas ficámos a saber que este senhor nasceu em Lisboa em 1450 (meu Deus há tanto tempo!!!!!!!) era filho dos primeiros Condes de Abrantes, D. Lopo de Almeida e D. Beatriz da Silva.


Foi o primeiro Vice Rei da Índia (um pais muito grande que fica bem longe). Foi um navegador. Partiu para esta aventura com 1.500 soldados que viajaram em 16 naus e 6 caravelas.
Teve grandes aventuras e passou por muitos perigos mas a sua valentia ajudou-o a fazer grandes conquistas.
Fez muitas viagens e conheceu muitos povos com costumes diferentes dos seus.
Foi muito engraçado conhecer os navios desses tempos, os instrumentos de navegação e os mapas.
Nau
Caravela

Astrolábio
Rosa dos Ventos



As roupas que usavam também eram muito diferentes das que nós usamos.
Foi muito interessante descobrir que de uma terra pequenina como a nossa partiu alguém que realizou grandes conquistas.
Quem sabe um dos Perlimpimpim, não será também alguém que realizará grandes conquistas... ou todos.
Agora estamos a preparar os nossos fatos para o desfile e um trabalho sobre a Biodiversidade para a exposição... mas é surpresa.
Só pudemos dizer que o trabalho será sobre a água (mar/rio).
Depois mostramos.

terça-feira, 13 de abril de 2010

Conversas Sobre Saúde


No nosso Agrupamento vai realizar-se uma palestra sobre Saúde dirigida pelo professor Ricardo que é o nosso coordenador do Plano de Educação para a Saúde e pela Dra. Filipa Serra, higienista do Centro de Saúde de Abrantes.
A comunidade escolar está convidada a participar.
Estas acções são muito importantes, implicar a família e os alunos nestas questões, esclarecer duvidas e mostrar caminhos é a melhor forma de mostrarmos que com saúde até a Educação pode ser Melhor.
Por saúde entendemos o bem estar físico e emocional.
Todos precisamos de nos sentir bem física e emocionalmente para podermos viver/aprender/relacionarmo-nos com os outros da melhor forma possível.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Beijinhos fofos - para os amigos de Belas



Hoje enquanto passeávamos pelos blogues dos amigos virtuais, actividade que gostamos de fazer, ficámos muito contentes com uma prendinha que encontrámos para o nosso blogue.

A colega Rosarinho, que nos ensina muitos poemas, deixou-nos esta surpresa.
Visitem o seu blogue pois tem muito para vos contar: fofosdebelas.blogspot.com

Beijinhos para todos os fofos e um beijinho fofo para a Rosarinho.

Beijinhos, beijinhos...

Esta é uma história ternurenta, que me foi enviada pela colega Olga Chambel. Para ela muitos beijinhos por esta partilha.
Para todos que nos visitam ficam também beijinhos.
Eu adoro beijinhos... ternurentos, lambuzados, doces, qualquer um. E porque gosto de receber também gosto de dar, adoro beijoqueiros.

terça-feira, 6 de abril de 2010

O Pássaro da alma.



Este livro é da autora Michal Snunit, é um livro pequeno mas com uma grandeza que poucos têm.
Ajuda-nos a perceber o quanto os sentimentos são importantes e o quanto é importante abrir as gavetas da nossa alma aos outros.
É um livro para lermos aos nossos filhos e aproveitarmos para com eles descobrirmos que a nossa gaveta do amor nunca se deve fechar.


"No fundo, bem lá no fundo do corpo, mora a alma.
Ainda não houve quem a visse,
Mas todos sabem que existe.
E não só sabem que existe,
Como também sabem o que lá tem dentro.

Dentro da alma,
Lá bem no centro,
Pousado numa pata,
Está um pássaro.
E o nome desse pássaro é o pássaro da Alma.
E ele sente tudo o que nós sentimos:

Quando alguém nos magoa, o pássaro da alma agita-se para lá e para cá

Em todos os sentidos dentro do nosso corpo, sofre muito.

Quando alguém nos ama,
O pássaro da alma dá pulinhos
De contente,
Para trás e para a frente,
Vai e vem.

Quando alguém nos chama,
O pássaro da alma põe-se logo à escuta da voz,
A fim de reconhecer que tipo de apelo é.

Quando alguém se zanga connosco,
o pássaro da alma recolhe-se dentro de si,
Tristonho e silencioso.

E quando alguém nos abraça, o pássaro da alma
Que mora no fundo, bem lá no fundo do nosso corpo,
Começa a crescer, crescer,
Até encher quase todo o espaço dentro de nós,
Tão bom para ele é o abraço.

Dentro do corpo, no fundo, bem lá no fundo, mora a alma.
Ainda não houve quem a visse,
Mas todos sabem que ela existe.
E ainda nunca,
Nunca veio ao mundo alguém
Que não tivesse alma.
Porque a alma entra dentro de nós no momento em que nascemos
E não nos larga
- Nem uma só vez –
Até ao fim da vida.
Como o ar que o homem respira
Desde a hora em que nasce
Até à hora em que morre.

Decerto querem também saber de que é feito o pássaro da alma.
Ah, isso é mesmo muito fácil:
É feito de gavetas e mais gavetas.
Mas não podemos abrir as gavetas de qualquer maneira,
Pois cada uma delas tem uma chave para ela só!
E o pássaro da alma
É o único capaz de abrir as gavetas dele.
Como ?
Pois isso também é muito simples:
Com a segunda pata.

O pássaro da alma está pousado numa pata,
E com a outra – que em descanso está dobrada sob a barriga –
Roda a chave da gaveta que quer abrir,
Puxa pelo puxador, e tudo o que está dentro dela
Sai em liberdade para dentro do corpo.

E como tudo o que sentimos tem uma gaveta,
O pássaro da alma tem imensas gavetas.
A gaveta da alegria e a gaveta da tristeza.
A gaveta da inveja e a gaveta da esperança.
A gaveta da desilusão e a gaveta do desespero.
A gaveta da paciência e a gaveta do desassossego.
E mais a gaveta do ódio, a gaveta da cólera e a gaveta do mimo.
A gaveta da preguiça e a gaveta do vazio.
E a gaveta dos segredos mais escondidos,
Uma gaveta que quase nunca abrimos.
E há mais gavetas.
Vocês podem juntar todas as que quiserem.

Às vezes uma pessoa pode escolher e indicar ao pássaro
As chaves a rodar e as gavetas a abrir.
E outras vezes é o pássaro quem decide.
Por exemplo: a pessoa quer estar calada e diz ao pássaro para abrir
A gaveta do silêncio. Mas ele, por auto-recriação,
Abre-lhe a gaveta da fala,
E ela desata a falar, a falar sem querer.

Outro exemplo: a pessoa quer escutar pacientemente
- E em vez disso ele abre-lhe a gaveta do desassossego
Que faz com que ela se enerve.

E acontece que a pessoa tenha ciúmes sem qualquer motivo.
E que estrague justamente quando mais quer ajudar.
Porque o pássaro da alma nem sempre é disciplinado
E às vezes dá-lhe trabalhos...

Agora já compreendemos que cada homem é diferente do seu semelhante
Por causa do pássaro da alma que tem dentro de si.
O pássaro que em certas manhãs abre a gaveta da alegria,
E a alegria jorra para dentro do corpo
E o dono dele fica feliz.

E quando o pássaro lhe abre
A gaveta da raiva,
A raiva escorre de dentro dela e
Domina-o totalmente.
E até que o pássaro
Volte a fechar a gaveta
ele não pára
De se zangar.

E quando o pássaro está de mau humor
Abre gavetas que dão mal-estar.

E quando o pássaro está de bom humor
Escolhe gavetas que fazem bem.

E o mais importante – é escutar logo o pássaro.
Pois acontece o pássaro da alma chamar por nós, e nós não o ouvirmos.
É pena. Ele quer falar-nos de nós próprios.
Quer falar-nos dos sentimentos que estão encerrados nas gavetas
Dentro de nós.

Há quem o ouça muitas vezes.
Há quem o ouça raras vezes,
E há quem o ouça

Uma única vez na vida.

Por isso vale a pena
Talvez tarde pela noite, quando o silêncio nos rodeia,
Escutar o pássaro da alma que mora dentro de nós,
No fundo, lá bem no fundo do corpo."

O Passarinho Azul... uma história da Primavera.

( Cliquem na imagem para acederem)

Mais uma vez a colega Glicéria nos propôs um desafio, construir uma história "aos bocadinhos" e cada participante com a sua imaginação construiu um texto colectivo que foi editado nos Jardins Saudáveis, vão espreitar.